Cristãos e judeus se unem contra perseguição e antissemitismo

“Hope for Persecuted People” foi criado para mobilizar os dois grupos que sofrem com o aumento da perseguição religiosa em todo o mundo.

Atos de antissemitismo e perseguição cristã estão aumentando em todo o mundo, por essa razão uma nova organização está desafiando os cristãos e os judeus a confrontarem o ódio contra suas comunidades.

Na esperança de reunir as duas forças, Susanna Kokkonen, que viaja pelo mundo para falar com o público cristão e judeu sobre o Holocausto, genocídio, antissemitismo e atualidades sobre Israel, lançou o “Hope for Persecuted People”.

“Existem organizações judaicas que lutam contra o antissemitismo e grupos cristãos que estão lutando contra a perseguição aos cristãos e eu sempre senti que havia uma conexão entre os dois. É algo que cristãos e judeus têm em comum e que nos torna alvos do ódio”, disse Kokkonen à CBN News.

Durante dez anos, Kokkonen dirigiu o “Christian Friends of Yad Vashem”, o Memorial do Holocausto de Israel.

“Agora ela tem a oportunidade de sair do Yad Vashem e trazer a mensagem do Yad Vashem para todo o mundo”, disse Gidon Ariel, fundador e CEO da Root Source, uma organização israelense de judeus ortodoxos ensinando cristãos em todo o mundo sobre as raízes de sua fé.

“Esta iniciativa é sobre lutar contra o antissemitismo com a educação. Talvez até mesmo ajudando mais concretamente, mas também pedindo à igreja que olhe para a perseguição dos cristãos, o que está acontecendo com eles? O que devemos fazer neste momento?”, disse Kokkonen.

Confortável

Suzanne Kokkonen acredita que a Igreja no Ocidente se tornou muito confortável.

“Isso tudo nos fez gostar de belezas adormecidas. Ao mesmo tempo, a África, a Ásia, o Oriente Médio e agora a Ásia estão agora crescendo como grandes perseguidores dos cristãos. Mais ou menos ignoramos o sofrimento dessas pessoas. Então é uma espécie de igreja dividida também desse jeito”, disse ela.

“As organizações judaicas estão lembrando a igreja sobre a perseguição de cristãos ao redor do mundo. E as agências e ministérios cristãos são muito mais silenciosos e eu não acho que isso seja certo”, disse Risto Huvila, autor de “O Milagre de Israel e o Presidente Truman”.

Kokkonen vê uma solução combinando oração e ação.

“A oração é o número um, mas também todos esses governos que permitem a perseguição, eles certamente estão negociando conosco. E nós deveríamos estar influenciando nossos parlamentos, nossos políticos, nossas nações a tomar uma posição por essas pessoas perseguidas”, propôs.

O lançamento da instituição reuniu líderes cristãos e judeus.

“Eu acho bonito ver judeus e cristãos se unindo por uma causa nobre”, disse Samuel Smadja, fundador da Sar El Tours.

“E acho que é uma visão comum para nós, judeus e cristãos. É isso que queremos lançar aqui hoje”, disse Kokkonen, que também pede que a igreja se prepare e ore contra o provável aumento da perseguição no Ocidente.